Quer morar na praia? Veja quais cuidados tomar antes de adquirir um imóvel no litoral

Imagem

Moradia está mais sujeita às condições climáticas e à maresia; vizinhança também é importante

Enfim você decidiu realizar o sonho de comprar uma casa de praia. Agora é só fechar negócio e aproveitar os momentos perto do mar, certo? Calma. Primeiro verifique tudo e só compre quando tiver certeza das condições do imóvel. O clima e a maresia são fatores que diferenciam moradias na praia. Se não for nova, olhe bem.

“É importante verificar o telhado, pois no litoral é comum a existência de focos de cupins, que adoram ambientes úmidos e quentes. A caixilharia (parte que sustenta vidros de portas e janelas) também deve ser vista, pois a mudança do tempo é grande e isso pode comprometê-la”, ensina a arquiteta Ieda Korman.

A arquiteta ressalta também os custos permanentes. “O comprador deve saber que casa de praia exige manutenção sempre. Além da pintura e da marcenaria, a perda de eletrodomésticos é frequente. Se a casa for isolada, haverá necessidade de caseiros ou segurança”.

Perfil e vizinhos

Para o arquiteto Rodrigo Ramos, é importante saber se o local é adequado ao perfil da família e quem são os vizinhos. “É sempre melhor quando a vizinhança vibra na mesma energia. Portanto, busque algo próximo do seu estilo de vida e de seus gostos. Pois além de vizinhos, é possível fazer amizades a partir das afinidades”.

Ieda lembra que muita gente compra imóveis em lugares calmos e distantes, mas os filhos crescem, querem lugares badalados e não vão mais para essas casas. “Em outros casos, o casal não suporta agito e é obrigado a se desfazer do imóvel por causa do barulho ou de uma praia lotada”.

Parte burocrática

Antes da compra, é melhor mandar toda a papelada para um advogado especializado. E pegar não só a documentação da prefeitura, mas também os projetos de arquitetura, cálculo, elétrica e hidráulica, que a maioria das pessoas não tem e, no caso de uma reforma, é extremamente importante.

“Se a casa for de frente para o mar, com certeza terá laudêmio, que é um documento da Marinha. O comprador tem que ficar atento, pois em muitos casos, principalmente no Nordeste, a Marinha tem reivindicado esses terrenos. Nas áreas de Mata Atlântica, o Ibama faz fiscalização”, diz Ieda.

Fonte: Revista Zap Imóveis

Voltar