Anote as dicas para arrematar um imóvel em leilão

Imagem

É importante prestar atenção nas informações do edital e saber quais serão os custos com as dívidas, como de IPTU

Arrematar um imóvel em leilão pode valer a pena, porque geralmente o valor será abaixo do de mercado. Porém, é preciso atenção nas dívidas que serão assumidas pelo comprador e verificar se todo o trâmite está dentro da lei.

A primeira coisa a saber é que a profissão de leiloeiro é regulamentada e só pode ser exercida com autorização da Junta Comercial do Estado. Portanto, pesquise! Veja mais dicas abaixo, preparadas pelos advogados Brunno de Moraes Brandi e Giovana Frascino Donato, que têm experiência nessa área.

1. Onde encontrar as melhores oportunidades para arrematar um imóvel em leilão?
Muitas pessoas têm dúvidas de onde podem encontrar as oportunidades de leilões. Veja alguns locais: Tribunal de Justiça de cada estado, Tribunal Regional Federal, Tribunal Regional do Trabalho, sites de leiloeiros, fóruns, jornais de maior circulação e com uma assessoria jurídica especializada em leilão.

2. Identifique o tipo de leilão
Existem dois tipos de leilões, os judiciais e os extrajudiciais. Os primeiros decorrem de um processo judicial (cível ou trabalhista), geralmente por inadimplência. Já os extrajudiciais são regidos pela lei de alienação fiduciária. São casos em que o mutuário para de fazer o pagamento, a propriedade fica em nome da instituição bancária e é levada a leilão.

3. Leia o edital
O edital de leilão é o principal documento que deve ser lido pelos interessados. Lá você irá encontrar informações sobre o imóvel que está sendo vendido, a forma de pagamento, a responsabilidade pelas dívidas, o leiloeiro responsável pela venda, entre outras.

4. Visite o imóvel e a região
Não se deve comprar sem ver. Entre em contato com o leiloeiro ou com um advogado especializado para que ele busque autorização para visitar o bem. Isso ajuda a identificar o valor de mercado do imóvel e tornar o investimento vantajoso e seguro.

5. Busque informações sobre dívidas
Por serem dívidas que acompanham a coisa, em muitos leilões o arrematante fica responsável por débitos de condomínio e IPTU. Essas informações também vão ajudar a saber o custo mensal de manutenção do imóvel.

6. Procure um advogado para te ajudar a arrematar um imóvel em leilão
Para evitar fazer uma compra ruim e tornar o sonho em pesadelo, é crucial que o arrematante esteja bem assessorado por um advogado especializado. A experiência do leilão é positiva apenas se você souber o que está fazendo.

Fonte: Revista Zap Imóveis

Voltar