Com mercado de criptomoedas em queda, veja porque investir em imóveis é negócio seguro e rentável

Imagem

Investidores de criptomoedas estão vendo seus lucros despencarem com a desvalorização do bitcoin. Veja porque o investimento em imóveis é seguro e garantido e dá um maior retorno do que qualquer aplicação no mercado

Desde que atingiu sua máxima, a cerca de 64 mil dólares, em abril, o bitcoin despencou 50% e viu seu preço "andar de lado" por praticamente dois meses, mas conseguiu se manter acima de 30 mil dólares. Isso até a grande quantidade de vendas no final de julho, que jogou o preço para baixo.

O movimento foi impulsionado pelo temor do mercado em relação à uma possível nova onda do coronavírus causada pela variante Delta. "Estamos vendo investidores avesso a riscos no mercado de ações, câmbio e commodities", disse Edmond G, líder de negociação da B2C2, ao site CoinDesk. "O mercado de criptoativos não está imune ao sentimento do mercado tradicional".

Com essa queda histórica das criptomoedas, investidores estão em busca de alternativas. É aí que entra o mercado imobiliário.


Historicamente, os imóveis são uma das formas mais tradicionais de investimento. É o tipo de negócio feito para quem quer evitar dores de cabeça com as flutuações de mercado financeiro sem abrir mão do lucro. Veja 10 motivos para se investir nesse setor:

1. É um investimento seguro

Alinhar os investimentos pelo nível do risco é uma estratégia bastante utilizada pelos investidores que buscam minimizar as perdas financeiras. Nesse ponto, temos investimentos de alto risco e investimentos de baixo risco.

O investimento no mercado imobiliário é considerado um dos tipos mais seguros. Isso porque, ao comprar uma casa, apartamento, sala comercial ou terreno, você está adquirindo um patrimônio físico (pode ser visto e tocado), que tende a se valorizar com o tempo e, também, não pode ser facilmente roubado ou tomado, como acontece com bens como carros ou joias.

Repare: em todas as atividades da nossa vida, há sempre um imóvel envolvido: um lugar para morar, para trabalhar, para se exercitar, para fazer as compras do mês… O que isso significa? Que mesmo em um período de crise, sempre existirá demanda por imóveis. Este é um tipo de investimento imune à quebra de bancos e quedas bruscas no mercado financeiro, que não pode ser congelado pelo governo, como a poupança.

2. Aumento de patrimônio

Investimentos seguros e duráveis têm tudo a ver com formação de um patrimônio. Empresas e pessoas que investem na formação patrimonial têm nos imóveis uma das suas linhas de investimento prioritárias.

3. Resistência ao tempo

Imóveis são bens duráveis. Seu uso se dá ao longo dos anos, perdurando por gerações. Casas e apartamentos podem se tornar uma fonte de renda para seus filhos. Seja na venda, na locação ou mesmo para evitar o aluguel. Ou seja: caso você decida manter o apartamento pela vida toda, deixa como legado para seus filhos. Eles, ao recebê-lo, têm a mesma chance de usar o imóvel e passá- lo para a próxima geração.

4. Potencial de fonte de renda

Investir em imóveis permite que você gere uma renda passiva – uma espécie de salário que não depende do seu esforço. E por mais que muita gente se esforce para comprar um imóvel, sabemos que vários não vão conseguir. Por isso, sempre haverá procura de um bom imóvel para alugar – uma demanda que raramente diminui, mesmo em tempos de crise.

5. Boas chances de rentabilidade

Quem investe em imóveis, não procura qualquer imóvel em qualquer localização. E bons imóveis em boas localizações geralmente trazem boa rentabilidade. Ao escolher algo em uma área com altos índices de valorização, a tendência é que, com o tempo, o valor desse bem aumente de forma constante e significativa – sem que, para isso, você precise se preocupar com as flutuações do mercado.

6. Potencial de valorização

Investimentos imobiliários dão melhores resultados no médio e longo prazo. Em mais ou menos tempo, um imóvel vai se valorizar. Conforme o contexto macroeconômico do momento, o grau de valorização pode ser maior ou menor.

7. Liquidez

É tranquilizador saber que seu patrimônio tem liquidez e, eventualmente, possa ser vendido com facilidade e transformado em dinheiro. Para isso, procure sempre imóveis que apresentem diferenciais relevantes para os moradores – e que costumam ser mais valorizados no mercado.

8. Sair do aluguel

O custo com moradia costuma consumir uma parte importante dos seus ganhos? Essa situação desconfortável atinge não só a vida financeira, mas todos os aspectos do cotidiano de quem vive de aluguel. O pagamento do aluguel é um péssimo investimento, uma vez que o dinheiro só resolve temporariamente a questão do morar e jamais retorna para o locatário.

9. Diversificação

Ter um portfólio de investimentos diversificado reduz os riscos do investidor. Nesse sentido, ter uma parte do dinheiro alocado em imóveis é interessante até mesmo para aqueles que preferem investir na bolsa de valores – seja de forma direta, comprando um imóvel, ou indireta, através de fundos imobiliários.

10. Proteção da inflação

O INCC (Índice Nacional da Construção Civil) é uma espécie de índice de inflação de preços do setor da construção civil. Ele é o indexador responsável pelos reajustes nas parcelas da compra de um apartamento, no valor dos aluguéis e outros pagamentos e transações do mercado imobiliário. Quem investe em imóveis protege de forma direta o poder de compra do seu dinheiro.

Resumindo: não invista em coisas imateriais como criptomoedas que podem sofrer de flutuações bruscas no mercado. Invista em imóveis, o negócio mais seguro e garantido e que está dando o maior retorno de investimento hoje. Venha para o Mercado Imobiliário e tenha uma consultoria de investimento em imóveis com nosso especialista.

Fontes: Exame, Wikihaus

Voltar