IGP-M sobe em dezembro e inicia 2022 com alta

Imagem

Resultado ficou acima da mediana da pesquisa feita pelo Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo; resultado foi influenciado pela aceleração dos preços de bovinos

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), utilizado como parâmetro para corrigir contratos de aluguel de imóveis, subiu 0,87% em dezembro, depois de ter subido 0,02% em novembro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) na quarta-feira, 29. Assim, o índice encerra 2021 com alta acumulada de 17,78%, ante 23,14% em 2020.

O resultado ficou acima da mediana da pesquisa feita pelo Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo. Segundo o levantamento, o mercado esperava uma aceleração de 0,02% em novembro e de 0,74% em dezembro. As estimativas vão de 0,06% a 1,02%. Já para o ano, o IPG-M ficou dentro da mediana (17,63%); e os valores esperados variaram entre 16,84% a 17,96%. 

O cálculo do IGP-M leva em conta a variação de preços de bens e serviços, bem como de matérias-primas utilizadas na produção agrícola, industrial e construção civil, e é bastante afetado pelo desempenho do câmbio e dos produtos de atacado. Segundo André Braz, coordenador dos Índices de Preços da FGV, a maior contribuição para o resultado do IGP-M de dezembro partiu do índice ao produtor. 

“O resultado deste mês foi influenciado pela aceleração dos preços de bovinos (11,69%), reflexo da demanda doméstica e da retomada das exportações e pela aceleração dos preços de safras afetadas por geadas e seca, como café (12,52%) e cana-de-açúcar (2,83%)”, disse Braz em nota divulgada pela fundação. “Esses últimos itens também ajudam a explicar a elevação de 20,57% acumulada pelo IPA em 2021. Os preços da cana-de-açúcar avançaram 57,13% no ano, enquanto o preço do café subiu 152,35%, no mesmo período.” 

O IGP-M é composto por outros três índices. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M), que monitora a variação de preços percebidos por produtores e tem um peso de 60% na composição da inflação do aluguel, subiu 0,95% neste mês, após queda de 0,29% em novembro. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M), que detém 30% da composição do IGP-M, variou 0,84% em dezembro, ante 0,93% no mês anterior. E o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M), que compõe os últimos 10%, variou 0,30% em dezembro, ante 0,71% em novembro.

Fonte: Estadão

Voltar