Mármore e granito nos ambientes: entenda as diferenças, onde usar e os cuidados

Imagem

Materiais são usados para revestir e dar acabamento mais sofisticado a ambientes interiores e exteriores; com aparência semelhante às pedras, possuem aspectos técnicos e estéticas diferentes

Uma das etapas mais importantes da decoração é a escolha dos itens de acabamento que vão dar forma e estilo para o imóvel, seja em uma construção ou reforma. Entre os móveis, cor de paredes e marcenaria, o uso da pedra de mármore e granito nos ambientes se tornou parte indispensável para um projeto mais sofisticado, pensado para o living como painel de tv, acabamento de lareiras, escadas, portais e marcos de portas, elevadores, tampos de mesas, pia de lavatório esculpida, nichos de banheiro, granito branco absoluto ou piso de mármore entre outros. 

Mas qual a diferença entre mármore e o granito? Sendo o mármore um material mais poroso e com aparência uniforme, pode ter um desenho que transmite a sensação de movimentos rajados. Já o granito é mais compacto e por isso mais resistente, com cores mescladas. A arquiteta Priscila Tressino, do escritório PB Arquitetura, comenta como usar corretamente as diferentes pedras no lar. “Ambos podem ser usados em projeto, porém um é mais indicado para revestimento, enquanto o outro pode ser usado inclusive como bancada, pela sua resistência”, conta a profissional. Ainda que diferentes, podem ser usados no mesmo ambiente em harmonia, um no piso e outro na pia.

Mais versátil

O granito possui menor absorção e não mancha facilmente com itens como molho, vinho ou gordura. Por isso, pode ser usado para bancadas de trabalho, corte de alimentos na cozinha e, pela dureza, é bem-vindo na churrasqueira, já que resiste a altas temperaturas. Pode ser usado também em bancadas no banheiro, soleiras de portas, peitoris de janelas e pingadeiras de muros.

Sofisticação nos acabamentos

O mármore possui preço mais elevado, dependendo da origem, e por ser mais leve e mais suscetível a rachaduras, é mais indicado para revestimento de pisos, paredes e fachadas e valoriza o imóvel. O material possui formato grande e diminui as emendas entre peças, oferecendo a sensação de um acabamento contínuo e amplo, quando respeitada a sua paginação. É possível usar diferentes tons de pedras para compor mosaicos e formas, muito utilizadas na arquitetura de interiores de estilo clássico.

Cuidados

Segundo a arquiteta, via de regra o mármore não é indicado para áreas externas, mas tem exceções. O mármore travertino romano bruto é muito aplicado no paisagismo em pisadas de jardim, escadas, bordas de piscinas e fontes. A escolha dos produtos para  limpeza também é fundamental para a preservação do material. Produtos químicos podem danificar as pedras definitivamente. O mais indicado é o sabão neutro e pano úmido macio. “É importante tomar cuidado com alta exposição à umidade em ambos os materiais, já que pisos de mármore e granitos de áreas externas têm acabamentos diferentes de ambientes internos, como jateado, escovado ou flameado, que tornam a superfície antiderrapante”, lembra a profissional.

Para quem possui as pedras de mármore e granito nos ambientes externos como jardins e piscinas, lavadoras com jato de pressão de água podem ser indicadas em áreas externas, “O mais importante é a especificação adequada para cada tipo de uso. Por isso, à assessoria de um arquiteto, juntamente com o especialista técnico, é a melhor opção na hora de escolher entre um e outro”, completa Priscila.

Fonte: Estadão

Voltar