Novos empreendimentos mostram qual é o futuro dos prédios de alto padrão

Imagem

The Lake, L"Harmonie e Ode Perdizes, em São Paulo, apostam em paisagismo exuberante, portaria dupla e iluminação natural, entre outros diferenciais

No mercado imobiliário, o segmento de alto padrão é o que mais rapidamente consegue atender às novas demandas de quem vive em grandes centros urbanos — e nunca surgiram tantas como na pandemia.

“O lar passou a ser um ambiente de descanso, lazer, trabalho e estudo”, lembra Juliana Parro, gerente de desenvolvimento de produto da Tegra Incorporadora. “Isso fez também com que fosse despertada a necessidade de adequar o espaço para suprir todas as novas necessidades dos moradores”.

Atributos para os quais os moradores antes não davam tanta atenção — como proteção acústica, iluminação natural e áreas verdes — agora são tidos como decisivos na hora da aquisição de um novo imóvel.

“Um dos itens mais procurados são espaços para a prática da atividade física”, revela Juliana. “As academias passaram a ocupar áreas internas, espaços ao ar livre e até salas privativas, que hoje acomodam aparelhos de musculação, espaço para alongamento, pilates e funcional”.

Novos empreendimentos

Em dois novos empreendimentos da Tegra, por exemplo, o The Lake e o L"Harmonie, foram criados espaços exclusivos para a prática de pilates. No Ode Perdizes, outra novidade da mesma incorporadora em parceria com a Paulo Mauro, os moradores dispõem de equipamentos para exercícios funcionais.

A explosão dos deliveries durante a quarentena motivou outra mudança no setor: a criação de áreas exclusivas para as entregas com direito a lockers, prateleiras, cabideiros e refrigeradores.

Tudo para aumentar o conforto dos moradores, facilitar a logística dos entregadores e preservar a segurança dos empreendimentos. Tanto o Ode Perdizes quanto o L’Harmonie dispõem de espaços desse tipo.

Pet Friendly

Outra demanda crescente para a qual o segmento imobiliário de alto padrão já está dando resposta se deve ao crescimento do mercado pet — quem não conhece alguém que resolveu adotar um animal durante a pandemia?

Daí o surgimento dos chamados pet places, locais estruturados, em geral com grama, nos quais cães e gatos podem brincar, gastar energia e fazer suas necessidades.

“Outro ambiente que deverá fazer parte de futuros projetos é o pet care”, aposta Juliana. Trata-se de um espaço no qual os condôminos podem dar banho e cuidar da higiene e da beleza de seus pets sem sair de casa.

Dentro do Gramercy Park, um condomínio fechado em Alphaville que tem portaria dupla e até um lago, o The Lake, já pronto para morar, dispõe de apartamentos com 336 metros quadrados — no living, o pé-direito é de mais de 5 metros.

Um dos diferenciais do The Lake é o Space Family. Trata-se de um ambiente reservado, com piscina e churrasqueira, no qual os moradores podem receber seus convidados com privacidade.

“Nas áreas comuns, é possível desfrutar de lazer completo, ambientes decorados e pensados para o bem-estar e a convivência entre moradores e seus convidados”, observa a gerente de desenvolvimento de produto da Tegra.

Já o L’Harmonie, situado na Vila Mariana, nos arredores do Parque do Ibirapuera, abriga apartamentos de 140 metros quadrados que chamam a atenção pela integração entre a sala e o terraço gourmet e pelos dormitórios espaçosos e ventilados.

O complexo se inspirou na icônica escola Bauhaus para tirar do papel as áreas comuns. “Revestimentos, paginações de piso, cores e escolhas de mobiliário trazem um pouco dessa escola”, justifica Juliana.

Além da sala de pilates, o empreendimento oferece área fitness completa e sala para alongamento. De dimensões generosas, o salão de festas, o espaço gourmet e a churrasqueira também não poderiam passar sem registro.

“Sabemos que, cada vez mais, as pessoas desfrutam dos ambientes de seus condomínios”, sustenta a especialista. Há ainda uma brinquedoteca ligada ao playground e sala de jogos para fãs de games.

Só faltou falar da piscina com deck molhado do L’Harmonie, do solarium e da pool house, que convidam os moradores a só sair de casa quando é realmente preciso.

A uma quadra da Avenida Sumaré, o Ode Perdizes possui só uma torre com apartamentos de quatro dormitórios. “O empreendimento alia a comodidade de estar próximo a avenidas principais à tranquilidade de uma rua residencial”, resume a gerente.

O intuito dos projetistas foi incorporar a natureza o máximo possível, em todos os ambientes. Não à toa, a fachada exibe vistosas floreiras e por toda parte se avistam madeiras e pedras.

O salão de festas, que costuma ser usado somente nos finais de semana, tem configuração versátil, transformando-se em coworking durante os dias úteis. Já a piscina, com raia de 25 metros e área exclusiva para crianças, está interligada ao spa.

É mais um diferencial que mostra como serão os prédios de alto padrão do futuro.

Fonte: Exame

Voltar