Mercado imobiliário: perspectivas para o segundo semestre de 2017

Imagem

Após passarmos um ano menos aquecido, de incertezas e quedas nas vendas e aluguéis, o mercado imobiliário apresentou melhoras e está mais otimista para o segundo semestre de 2017. O pacote de medidas econômicas lançado recentemente, o aumento da geração de empregos e a estabilização dos preços dos imóveis no primeiro semestre criam expectativas positivas para o setor.

Taxas de juros e inflação mais baixas

A taxa de juros apresentou a terceira redução e o mercado baixou a sua previsão de 4,15% para 4,12%. A expectativa é de que esse indicador de inflação fique abaixo da meta do ano, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é de 4,5%. No início do ano, a previsão era de 5,07% – portanto, o mercado está otimista com essa redução acima da esperada. Isso se reflete no poder de compra do consumidor e torna a aquisição de imóveis mais atrativa.

Produto Interno Bruto (PIB)

A expectativa de crescimento do PIB é de 0,47% e os economistas estão otimistas com essa melhora – afinal, em 2016, esse indicador caiu pelo segundo ano consecutivo. Esse fator contribui para a recuperação domercado imobiliário, pois o índice é utilizado para mensurar o comportamento da economia do país.

Emprego

A estimativa é de que, com o crescimento do PIB, aumente também a geração de empregos. Isso reflete no mercado imobiliário, já que, se o consumidor possui emprego, aumenta a concessão de crédito e a inflação não afeta tanto nos planos das famílias para a aquisição de imóveis, aquecendo o setor no segundo semestre de 2017.

Financiamento de imóveis

A Caixa Econômica Federal aumentou o teto do financiamento de imóveis. Dessa forma, os valores passaram de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões dentro do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Além disso, o lançamento da faixa de R$ 1,5 do programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) deve contribuir para retomada do setor. Outra medida adotada pela Caixa foi a redução de juros em até 0,25 ponto percentual para todas as formas de financiamento de imóveis.

Conclusão

Há sinais muito expressivos para uma perspectiva positiva no mercado imobiliário para o segundo semestre de 2017. A desaceleração da inflação e a queda na taxa básica de juros no Brasil favorecem a oferta de crédito imobiliário para o comprador.

A economia está apresentando melhorias e, por mais sensíveis que os números sejam, eles são bastante animadores para o mercado imobiliário. Isso porque, com o fortalecimento da economia, aumenta a crença dos investidores e a confiança do possível comprador de imóveis. Enquanto esses resultados são alcançados, cabe aos corretores de imóveis e às imobiliárias adotarem algumas práticas constantes para aprimorar habilidades como:

  • Ter disciplina e buscar melhorias constantes em suas rotinas e seus processos;
  • Manter-se motivado, positivo e trabalhar com entusiasmo;
  • Rever, constantemente, processos para definir as melhores práticas em busca dos melhores resultados;
  • Manter uma rede de relacionamentos sempre ativa para encontrar parcerias e fechar mais negócios;
  • Tirar o máximo proveito de todas as oportunidades, dedicando-se por completo, como, por exemplo, nos plantões de venda.

O cenário mais favorável e as previsões positivas para o segundo semestre de 2017 devem aquecer o mercado imobiliário. É possível sentir uma melhora econômica e criar boas expectativas. Quem tem disciplina certamente será recompensado por sua dedicação. Portanto, para aproveitar todas as vantagens, é preciso estar preparado – afinal, existem diversos benefícios na carreira imobiliária.

Fonte: Portal VGV

Voltar